Orgânicos

O que é o selo orgânico? Veja porque ele impacta sua vida

Selo Orgânico do Brasil
Entenda o que é o selo orgânico e sua importância.

Nos últimos anos, o interesse por alimentos orgânicos cresceu refletindo uma tendência global em direção a práticas alimentares mais sustentáveis e saudáveis. Essa tendência reflete o cuidado com a saúde, o equilíbrio ecológico e a biodiversidade.

Nesse cenário, o selo orgânico ganha destaque. Ele conecta consumidores e produtores com confiança, afinal, para o consumidor ele é uma garantia de que o produtor segue padrões sustentáveis rigorosos e para os produtores, o selo valida suas práticas e abre portas no mercado.

Continue lendo para entender mais sobre essa importante certificação.

O que são alimentos orgânicos?

Alimentos orgânicos são produtos agrícolas que são cultivados e processados de acordo com diretrizes específicas que visam práticas sustentáveis e ambientalmente conscientes. Essas diretrizes variam de país para país, mas incluem geralmente o uso restrito de pesticidas e fertilizantes sintéticos, uso de sementes não geneticamente modificadas, cuidado com o bem-estar animal e sustentabilidade animal.

Segundo Éber Diniz Alves de Lima, presidente do Sindiorgânicos-DF, a definição de produto orgânico é a seguinte:

O produto orgânico tem todo um conceito para poder ser chamado de orgânico. Primeiramente, ele é um produto que passou por um processo de certificação que analisa as formas de produção que eram adotadas pelo produtor, como a não possibilidade de utilização de produtos químicos de alta solubilidade como adubação química e pesticidas.

Apesar de a literatura sobre alimentos orgânicos e convencionais não possuir evidências fortes de que os alimentos orgânicos sejam significativamente mais nutritivos, estudos sobre orgânicos mostram que o consumo de alimentos orgânicos pode reduzir a exposição a resíduos de pesticidas e bactérias resistentes a antibióticos

O que é o selo orgânico?

O selo orgânico, ou Selo SisOrg de Conformidade Orgânica, é uma certificação que atesta a origem e a qualidade dos produtos agrícolas ou processados, garantindo ao consumidor que o item adquirido foi produzido seguindo rigorosos padrões de agricultura orgânica.

Sendo um selo público oficial, ele é utilizado desde 1 de janeiro de 2011 para identificar e controlar a produção nacional de orgânicos. Sua emissão é concedida pelos Organismos de Avaliação da Conformidade (OAC), credenciados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Existem três principais formas de certificação orgânica no Brasil, cada uma adequada a diferentes tipos de produtores e métodos de comercialização:

  1. Certificação: realizada por certificadoras credenciadas pelo MAPA Essa forma de certificação é mais comum em propriedades de maior escala que desejam comercializar seus produtos em uma ampla variedade de mercados, incluindo supermercados e exportações. Envolve inspeções periódicas e um processo de auditoria detalhado para garantir a conformidade com as normas orgânicas.
  2. Sistema Participativo de Garantia (SPG): solução para pequenos e médios produtores, o Sistema Participativo de Garantia baseia-se na colaboração e na responsabilidade coletiva dos membros do sistema, incluindo produtores, consumidores e técnicos.
  3. Esta modalidade  caracteriza-se pelo controle social e responsabilidade solidária. Abaixo explico melhor o que são elas:
    • Controle Social – processo de geração de credibilidade, necessariamente reconhecido pela sociedade, organizado por um grupo
      de pessoas que trabalham com comprometimento e seriedade. Ele é estabelecido pela participação direta dos seus membros em ações coletivas para avaliar a conformidade dos fornecedores aos regulamentos técnicos da produção orgânica.
    • Responsabilidade Solidária – ocorre quando todos os participantes do grupo comprometem-se com o cumprimento das exigências técnicas para a produção orgânica e responsabilizam-se de forma solidária nos casos de não-cumprimento delas por alguns de seus membros.
  4. Controle social na venda direta sem certificação: solução para agricultores familiares que vendem diretamente ao consumidor, como em feiras livres ou entregas domiciliares. Esta modalidade dispensa a certificação formal, mas exigindo o registro no Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos e a adesão a uma Organização de Controle Social (OCS).
Leia também:  Benefício dos alimentos orgânicos: 5 motivos para consumir orgânicos

A certificação orgânica e o selo SisOrg representam mais do que simplesmente a ausência de agrotóxicos nos produtos. Eles simbolizam um compromisso com práticas agrícolas que respeitam a biodiversidade, promovem o equilíbrio ecológico e garantem a saúde e o bem-estar das futuras gerações. Ao escolher produtos com o selo orgânico, os consumidores apoiam um sistema de produção que valoriza a vida, desde o solo até a mesa.

Como o selo orgânico impacta sua vida?

O selo orgânico tem um impacto profundo na vida das pessoas, influenciando diretamente a qualidade dos alimentos consumidos.

Ao escolher produtos com esse selo, você opta por alimentos cultivados sem o uso de pesticidas, fertilizantes químicos sintéticos ou organismos geneticamente modificados. Isso significa uma ingestão menor de substâncias potencialmente prejudiciais à saúde, contribuindo para um bem-estar geral melhor e reduzindo possivelmente o risco de certas doenças relacionadas à exposição a esses químicos.

Além dos benefícios para a saúde, o selo orgânico reflete uma escolha consciente pelo meio ambiente e uma demonstração de apoio à economia local e à agricultura familiar. Assim, o impacto do selo orgânico vai além da saúde individual, alcançando dimensões ambientais e sociais significativas.

Como saber se um produto é realmente orgânico?

O jeito mais prático para conhecer se um produto é realmente orgânico é acessar a lista dos produtores orgânicos de todo o Brasil no site do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e exportar a planilha com todos os produtores em território nacional.

Ao baixar a planilha, você pode filtrar os dados por tipo de entidade, nome da entidade, UF, cidade, nome do produtor, atividade e o contato caso precise falar com eles.

Segundo Fábio Corrales, gerente do Tecpar Certificação, outra forma de fazer essa avaliação seria ao olhar a lista de ingredientes.

Para ser reconhecido como orgânico, um produto processado deve conter, no mínimo, 95% de ingredientes de origem na agricultura orgânica, identificados no rótulo. Além disso, os outros 5% de ingredientes não orgânicos não podem estar entre aqueles proibidos pelas regras da produção orgânica, como os transgênicos, por exemplo.

Por último, para saber se um produto é orgânico, o ideal é comprar produtos orgânicos apenas de fontes confiáveis, como lojas especializadas, feiras de orgânicos ou diretamente de produtores locais certificados e conhecidos por suas práticas orgânicas.

Se ainda estiver na dúvida, assista ao vídeo abaixo do canal Programa Tribula Rural, da Band Brasília.

Agora que você já conhece tudo sobre o selo orgânico, é hora de compartilhar este conteúdo com pessoas que você gostaria que conhecessem mais sobre ela.

Leo Cruz

Especialista em criar aquilo que um dia você vai procurar no Google. Produzindo conteúdo com o objetivo de impulsionar esses pequenos produtores e incentivar a agricultura orgânica, agroecológica e familiar brasileira, com respeito ao meio-ambiente e aos animais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *